Meu primeiro livro.

Sempre tive preguiça de participar de memes de blogs, mas esse é tão bonitinho que não resisti. Fui convidada pela Flávia Ladyrasta, que foi convidada pela Flávia Durante, para falar sobre o primeiro livro que li, ou o primeiro que me despertou para a leitura, ou o primeiro livro que me lembro.

Sou péssima de memória, o primeiro livro que me lembro de ter gostado muito era um que falava sobre uma revolta de legumes, no estilo A Revolução dos Bichos, o pepino Pepe liderava um grupo que lutava contra alguma coisa, mas nem vou conseguir lembrar o nome. Porém, lembrei de outro livro que sempre fui encantadíssima: Marcelo, Marmelo, Martelo de Ruth Rocha.

Marcelo, Marmelo, Martelo de Ruth Rocha

Marcelo, Marmelo, Martelo de Ruth Rocha

Eu devia ter uns 7 anos, acho. Na escola quem terminasse a lição podia ficar lendo livros enquanto os outros terminavam. E muitas vezes fiz a lição correndo, só para poder me deliciar com a história do menino que inventava nomes para as coisas. Marcelo não entendia porque as palavras tinham os nomes que tinham, ele não entendia porque travesseiro se chamava travesseiro, era mais lógico chamar o objeto de cabeceiro. Cadeira era sentador, leite era suco-de-vaca. Ele questionava até porque o nome dele era Marcelo, por que não martelo?

Eu achava o máximo aquele jeito contestador do Marcelo, achava tão divertido ficar pensando nos outros nomes que as coisas poderiam ter. E dessa maneira eu me perdia horas naquela brincadeira de ler. Até hoje dou risada de alguns trechos como:

- Mamãe, por que é que eu me chamo Marcelo?

- Ora Marcelo, foi o nome que eu e seu pai escolhemos.

- E por que é que não escolheram martelo?

- Ah, meu filho, martelo não é nome de gente! É nome de ferramenta…

- Por que é que não escolheram marmelo?

- Porque marmelo é nome de fruta, menino!

- E a fruta não podia chamar Marcelo, e eu chamar marmelo?

E eu tinha essa mania de ficar decorando. Aí eu contava a história do Marcelo pros meus irmãos, pros meus pais. Daí a Mamãe ao invés de me chamar de tagarela me chamava de tarantela, porque eu falava demais e ela entrou na brincadeira.

O livros Marcelo, Marmelo, Martelo é um livro de contos. Há mais 2 contos, um sobre duas meninas muito diferentes, a Gabriela e a Teresinha e outro sobre o Caloca, o dono da bola. Também adorava as outras histórias, mas confesso que meu ídolo mesmo era o Marcelo. E graças as maravilhas da internet, quem quiser conhecer ou matar as saudades, Marcelo, Marmelo, Martelo está disponível aqui.

E quero passar esse meme para algumas Luluzinhas queridas: @LuMonte (porque sei que o primeiro livro dela foi A Gatinha uón), @LisComunello, @tatals e @bete_davis.

Update:

A Lis Comunello que respondeu, convidou a Lu Freitas que respondeu. E se você continua curioso, mais gente bacana também respondeu como o Inagaki e a Lucia Malla.