Infância Livre de Consumismo

Um coletivo de mães, pais e cidadãos inconformados com a publicidade dirigida às crianças uniram-se ao Instituto Alana na Campanha: Infância Livre de Consumismo (twitter e youtube).

O objetivo é questionar ações publicitárias com foco nas crianças e chamar a atenção para a responsabilidade que todos nós temos, como sociedade, na educação e bem estar das crianças. O movimento nasceu da indignação com a Campanha Somos Todos Responsáveis da ABAP (Associação Associação Brasileira de Agências de Publicidade), que responsabiliza unicamente pais e mães quanto à proteção das crianças diante dos estímulos abusivos das propagandas ao consumismo. A ABAP defende a autorregulamentação e o “bom senso” dos anunciantes como únicos controladores da publicidade infantil. Porém, por que é interessante ensinar as crianças a serem consumidores vorazes desde pequenos? Justamente para tornar automático o ato de consumir cada vez mais.

Por mais que a sociedade seja individualista nos dias de hoje, só conseguiremos contruir uma sociedade mais justa e igualitária com todos assumindo suas responsabilidades. Para que mães e pais eduquem seus filhos visando a cidadania e a sustentabilidade é preciso apoio efetivo do Estado, além da responsabilização das empresas privadas, dos veículos de comunicação e publicidade. Diante do excesso de propagandas e do conteúdo manipulatório que se apresenta diariamente na mídia direcionada às crianças, não é possível que mães e pais aceitem esta responsabilidade sozinhos.

O projeto Infância Livre de Consumismo busca abrir um canal de diálogo com a sociedade na tentativa de encontrar novas soluções para a questão da publicidade infantil. Afinal, a publicidade é danosa às crianças quando as pressiona a desejar cada vez mais bens de consumo, associando-os a um discurso enganoso, de alegria, felicidade e status social. Uma pressão que não pode ser devidamente elaborada pelas crianças, cujo senso crítico e cognição ainda estão em desenvolvimento. A criança está em real desvantagem frente o marqueteiro especialista que estudou os hábitos, conhece profundamente os desejos e aspirações de seu público alvo. Todo esse conhecimento tem como propósito derrubar as barreiras, filtros e principalmente a consciência crítica que define critérios para a compra de produtos.

É fundamental discutir a maneira como consumimos atualmente, porque os recursos naturais são limitados. Não é possível pensar em medidas ambientais e sustentabilidade sem pensar em reduzir o consumo. São as novas gerações que herdarão as consequências do mundo em que vivemos hoje. Vale muito apoiar esse projeto.